Se recusa a vender casa e torna real história de sucesso da Disney


americana

Americana se recusa a vender casa e torna real história de sucesso da Disney. Caso de uma senhora que aos 82 anos rejeitou oferta milionária para se desfazer do imóvel onde vivia lembra o enredo da animação ‘UP! Altas Aventuras’

Edith recusou oferta milionária e construtora teve que adaptar projeto de shopping para manter sua casa no lugar (Reprodução/Internet/Roadtrippers)
Edith recusou oferta milionária e construtora teve que adaptar projeto de shopping para manter sua casa no lugar

Quem não lembra da emocionante história de Carl Fredricksen, contada na animação “UP! Altas aventuras”, criada pela Disney-Pixar em 2009? Na ficção, um ex-vendedor de balões de 78 anos se recusa a deixar a singela casinha em que mora, e onde viveu uma linda história de amor com sua querida Ellie, para dar lugar à construção de enormes prédios.

Coincidência ou não, alguns anos antes de UP! uma história parecida foi vivida por Edith Macefield, uma senhora que aos 82 anos rejeitou vender a sua antiga casa, mesmo após oferecerem a ela US$ 1 milhão pelo imóvel. As informações são do site norte-americano Road Trippers.

                                           Veja mais fotos da casa de Edith Macefield

Edith e sua mãe sempre viveram na mesma casa, em Ballard, Seattle, nos Estados Unidos. Ao longo dos anos, perceberam a chegada do progresso, com a transformação das antigas casas em lojas e grandes edifícios. Não demorou muito para que as construtoras tentassem fazer o mesmo com a casa de Edith, oferecendo enormes quantias pelo imóvel. De tanto ela se negar a vender a propriedade, as ofertas chegaram a valores milionários, mas ela permaneceu firme em seu propósito.

 (Reprodução/Internet/Roadtrippers)

Assim como o Carl Fredricksen, o personagem do desenho, Edith também mantinha um apego emocional muito grande à casa. A mãe morrera na casa e era lá que pretendia viver até seus últimos dias, justificava ela sempre que perguntada sobre o motivo da recusa.

Após muitas negativas, a construtora interessada no imóvel não teve outra opção, senão adaptar o projeto arquitetônico de um shopping, construindo ao redor da pequena casa. A obra foi levantada, mas o projeto precisou de um grande vão, para manter intacta a casa de Edith.

 (Henry Gales/Flickr)

Também como no desenho, Edith fez um amigo inesperado: Barry Martin, que na época da construção chefiava a obra. Mesmo com tudo para não se darem bem, eles fizeram uma boa dupla. Martin a ajudava com as medicações e outras tarefas diárias. O amigo a acompanhou até seus últimos dias, em 2008, quando Edith faleceu aos 87 anos, vítima de um câncer.

Inspirada pela lealdade de Martin, a senhora deixou para ele sua preciosa casa. A residência permanece até hoje no mesmo local e passou apenas por algumas reformas, como a troca das janelas e melhorias no jardim.

Assim como Carl Fredricksen, personagem do desenho, a senhora também mantinha um forte apego emocional à casa (Pixar/Divulgação)
Assim como Carl Fredricksen, personagem do desenho, a senhora também mantinha um forte apego emocional à casa

A persistência fez com que Edith se tornasse uma espécie de heroína local. Sua casa e história foram inspirações para a construção de pequenas casas na região, tatuagens e até um festival de música.

Fonte: Ciclo Vivo

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s