Copa do Mundo aquece setor de locação temporária em BH


Aluguel

Copa do Mundo aquece setor de locação temporária em BH.

Os jogos na capital são uma boa oportunidade para quem quer aproveitar o período e alugar casas e apartamentos para turistas.

Belo Horizonte receberá em junho e julho turistas interessados em assistir aos seis jogos da Copa do Mundo no Mineirão. Muitos devem reservar quarto de hotel, enquanto outros vão preferir se hospedar em casas, sítios e apartamentos alugados durante o evento. Como aproveitar a oportunidade para ganhar dinheiro? O Lugar Certo aponta quais são as principais orientações para quem entrar em um mercado pouco explorado em Minas Gerais: o de aluguel de imóveis para temporada.

Os imóveis que serão disponibilizados durante a Copa do Mundo começam a ser cadastrados pela Millenium Imóveis. O dono de um apartamento no Bairro Liberdade, na Região da Pampulha, por exemplo, até se dispõe a levar os turistas aos jogos e viajar com eles para cidades históricas. O diretor da imobiliária e da regional Pampulha da Rede Imvista, José Cupertino, enxerga uma maior demanda para a região que está perto do Mineirão, mas ele acredita que a oferta não ficará restrita. “Um outro cliente me procurou para alugar um sítio próximo do Retiro do Chalé, em Brumadinho, todo mobiliado, com caseiro, piscina e duas lagoas para pesca, ideal para quem prefere ficar em um ambiente mais tranquilo”, adianta.

Cupertino lembra aos interessados em hospedar turistas que o imóvel deve estar em perfeito estado de conservação, assim como o mobiliário. O especialista sugere ao locatário incluir o serviço de uma empregada doméstica para que os inquilinos tenham ainda mais conforto. Em relação ao preço, a orientação é pensar em um valor acessível que seja mais atraente que uma diária de hotel. “O que não vale é extorquir o cliente, pois o mercado imobiliário não funciona dessa forma. Acho justo cobrar R$ 150 de diária por pessoa em um apartamento de três quartos com suíte, varanda e todo montado.”

ATRATIVO 

O vice-presidente da Câmara do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), Fernando Júnior, recomenda divulgar na internet um anúncio bem atrativo, se possível em língua estrangeira, mostrando o diferencial de aluguel de temporada comparado ao setor hoteleiro. “Você vai oferecer um lar para turista num país distante, onde ele vai passar uma temporada para curtir a Copa do Mundo, com sala de televisão, cozinha e garagem para guardar um carro alugado”, destaca. Júnior também orienta usar a localização como atrativo. No caso de um apartamento no Belvedere, vale destacar que o acesso é facilitado para Ouro Preto e Mariana e o dono de um imóvel no entorno da Praça da Liberdade pode incluir a informação de que o hóspede ficará perto de museus, bares e o comércio da Savassi.

 

Fernando Júnior, vice-presidente da CMI/Secovi-MG, explica que é importante ressaltar diferenciais e localização (Euler Júnior/EM/D.A Press)
Fernando Júnior, vice-presidente da CMI/Secovi-MG, explica que é importante ressaltar diferenciais e localização

No mês que vem, começam as obras em uma suíte no Edifício JK, Centro de Belo Horizonte, que será alugada para a Copa do Mundo. A reforma é para modernizar o imóvel de 26 metros quadrados, como pediu o dono, o professor universitário Péricles Lima, de 50 anos. “Vou explorar o fato de ser uma suíte em um prédio tombado pelo Patrimônio Histórico, feito pelo arquiteto Oscar Niemeyer, com vista definitiva e panorâmica da cidade”, conta. Lima ainda não definiu o valor do aluguel da “suíte Niemeyer”, mas ele espera que a taxa pague praticamente todos os gastos com a reforma.

Para o vice-presidente da CMI/Secovi-MG, deve-se ter muita cautela ao investir em um imóvel para a Copa quando não há perspectiva de aluguel. “Acredito que vale a pena aproveitar a oportunidade caso o imóvel esteja precisando de reforma ou manutenção. Se já houver procura, aí está na hora de colocar a mão na massa”, opina. Desde que sejam cumpridas as exigências legais, Júnior diz que a locação por temporada costuma ser bastante rentável. O interessante é que a demanda surge para todo tipo de imóvel. Por enquanto, Júnior percebe procura do público corporativo, entre empresas de imprensa, eventos e atendimento ao turista, que querem se hospedar no entorno do estádio.

COMO FUNCIONA

– O aluguel de temporada, previsto na Lei do Inquilinato, não pode ser superior a 90 dias
– Sugere-se elaborar um contrato por escrito para que as partes tenham clareza das regras
– É importante mencionar, caso o imóvel seja mobiliado, todo o descritivo dos bens
– O locador pode exigir pagamento antecipado do aluguel ou solicitar uma garantia, o que diminui o risco de inadimplência
– Na data de entrega das chaves, é recomendado pedir ao locatário a assinatura do contrato
– O ideal é fazer uma vistoria no dia da entrega do imóvel para identificar alguma avaria

Fonte: Júlio Lima, advogado especializado em direito imobiliário e sócio do escritório Portela e Lima Advogados Associados

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s