Maquete 3D permite visualizar o prédio e detalhes em vários ângulos


Maquete 3D permite visualizar o prédio e detalhes em vários ângulos

Ferramenta agiliza decisão de compra

 (Filipearcanjo/Reprodução)

Não é de estranhar a insegurança que surge na hora de comprar um imóvel na planta. Unidade decorada e maquete permitem a visualização do espaço interno e da fachada, respectivamente, mas as áreas comuns não costumam ser contempladas. Para ajudar ainda mais o cliente no momento da decisão, as construtoras agora investem em tecnologia três dimensões (3D).

Parece mágica: o cliente aponta o tablet para uma mesa, o tampo se abre e o prédio surge na tela em 3D. À medida que dá a volta pelo móvel com o dispositivo em mãos, ele consegue ver o empreendimento em todos os ângulos. É assim que funciona a maquete virtual instalada no estande de vendas do edifício comercial Boss – Buritis Office Solutions, da Tetum Engenharia. “As pessoas definem a sala que vão comprar pelas vagas de garagem. Como são vários níveis, a ferramenta permite enxergar todos os portões de entrada, o acesso de carga e descarga e entender, por exemplo, como um motoboy entraria com encomenda”, avalia a coordenadora de marketing do Grupo Somattos, Patrícia Freitas. Em menos de um mês, foram vendidos mais de 70% do primeiro empreendimento da construtora a contar com o recurso 3D, lançado em outubro. Patrícia entende que a tecnologia ajudou na velocidade de venda.

O que também surpreendeu a Tetum Engenharia foi o interesse de clientes de todas as idades em conhecer o produto por meio da ferramenta interativa. Além de enxergar todos os ângulos, é possível aproximar a imagem em qualquer ponto em que haja necessidade de ver detalhes, o que facilita o entendimento do projeto.

Os visitantes também podem fazer uma imersão com tablet em todos os ambientes, caminhando e se movimentando pelo estande como se estivesse dentro do empreendimento. “O processo de venda fica menos pragmático quando o foco não são tabelas, números e plantas. Acaba virando uma brincadeira”, comenta Patrícia. A coordenadora de marketing adianta que a tecnologia será usada para o lançamento de um prédio residencial no ano que vem.

APELO VISUAL 

Patrícia Freitas, coordenadora de marketing do Grupo Somattos: tecnologia ajudou na velocidade de comercialização de um edifício  (Euler Júnior/EM/D.A Press)
Patrícia Freitas, coordenadora de marketing do Grupo Somattos: tecnologia ajudou na velocidade de comercialização de um edifício

Ao perceber que a tecnologia caminhava para o 3D, com o conceito de realidade aumentada, o diretor da empresa especializada em inteligência corporativa Ledcorp, José Lúcio Balbi de Mello, se apressou para lançar, há três anos, a plataforma LedMídia. Ao apontar o smartphone ou o tablet para o código impresso em jornal ou folder, por exemplo, o cliente consegue visualizar o imóvel em 3D. Aproximar o dispositivo do papel dá zoom na imagem, assim como rodar o anúncio permite enxergar o empreendimento em todos os ângulos. “É preciso apelar para o desejo do consumidor, principalmente quem está vendendo um imóvel que vai ficar pronto daqui a dois anos. O cliente quer mostrar o apartamento para parentes ou para a decoradora antes de ele ser construído. Passar segurança é um diferencial muito grande”, pontua Mello.

Para a Patrimar Engenharia, que oferece empreendimentos de alto padrão, usar a tecnologia 3D é quase obrigatório. “Dá uma realidade maior para o cliente do empreendimento que nem começou a ser construído e mostra fidelidade ao que vai ser entregue. Assim, ele tem noção do que está comprando”, ressalta a gerente de marketing da Patrimar, Larissa Castro. Dependendo da estratégia, a empresa monta no estande de vendas salas especiais em que o visitante senta em poltronas para assistir a vídeos em 3D ou telas sensíveis ao toque para que ele possa passear pelos ambientes. Com o lançamento do Edifício Springfield, no Bairro Cidade Jardim, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, vem uma novidade: o tapume vai conter um código lido por dispositivos móveis (QR code) para que o público possa ter acesso em qualquer lugar a um tour virtual. A construtora já utiliza a ferramenta em folders, anúncios e até sacos de pão.

 (Divulgação)

Por: Celina Aquino – Estado de Minas

Anúncios

Maplink e Google – Lançam plataforma para o setor Imobiliário


Maplink e Google – Lançam plataforma para o setor Imobiliário

Dentre as principais funcionalidades, o usuário pode acompanhar o andamento das obras  de um empreendimento e conhecer os serviços que a região oferece em seu entorno.

MAPLINK

 

Usuários têm a real noção de como o empreendimento adquirido está sendo construído

Pensando em incrementar a comunicação do mercado imobiliário que a LBS Local (proprietária da marca MapLink), Parceira Google do Ano na América Latina de Maps For Business, lançou, em parceria com o Google, uma nova aplicação imobiliária. Essa aplicação permite ao futuro morador acompanhar passo a passo a construção de um empreendimento e o desenvolvimento infraestrutural da região onde ele está localizado.

Desenvolvida sobre os produtos Google Maps, a aplicação também possibilita ao usuário saber quais são os estabelecimentos mais próximos à construção e como funciona a circulação do transporte público nas imediações, acessar online a planta do imóvel, além de navegar por dentro de um apartamento modelo, a ser disponibilizado pela incorporadora, com imagens em 360º.

“A experiência com as plataformas de Geolocalização do Google nos possibilitou desenvolver esta aplicação, ferramenta com a qual os usuários têm a real noção de como o empreendimento adquirido está sendo construído. Sem dúvida, pode se tornar um instrumento poderoso para incorporadoras de fidelização e conquista de novos clientes que estejam em busca de segurança no momento da compra de um imóvel na planta”, explica Frederico Hohagen, diretor Comercial da MapLink.

A aplicação foi apresentada, especialmente aos responsáveis por novos empreendimentos, em novembro pela MapLink e Google em um evento voltado para o mercado imobiliário e incorporadoras.

Agência Último Instante

 

O que esperar do mercado imobiliário para 2014


FELIZ-20141.png

O ano de 2013 está terminando e nossos resultados foram muito gratificantes, o COMPRENAPLANTA.NET fechou grandes parcerias e ajudou muita gente a realizar o sonho de ter a casa própria.

Para 2014 as expectativas são as melhores possíveis, com previsões de grandes lançamentos e excelentes oportunidades.

Queremos agradecer aos nossos clientes, parceiros e amigos, pois sem eles seria impossível manter a empresa em ritmo de crescimento num mercado tão competitivo como este.

Selecionamos abaixo 6 perspectivas para 2014 segundo o site da INFOMONEY que acreditamos ser de fato uma realidade para o nosso mercado em 2014.

São elas:

1 – Preços dos imóveis devem cair em algumas regiões.

De acordo com o relatório do Comitê, divulgado na última quinta-feira (5), em 2014, os preços dos imóveis devem cair em algumas regiões do país. A queda deve ser observada, especialmente, nas capitais onde os estoques de imóveis são muito altos, em relação à demanda. Como exemplos, o relatório cita as cidades de Manaus, onde o estoque é aproximadamente três vezes maior que a demanda; Salvador, que tem estoque perto de 2,7 vezes a demanda; além de Brasília, Vitória (ES) e de algumas cidades do Centro-Oeste, que já estariam mostrando quedas de preços devido ao excesso de estoque contra a demanda e também pelo fato de que algumas empresas estariam abandonando esses mercados e liquidando estoques.

2 – São Paulo e Rio de Janeiro, contudo, devem continuar observando alta.

Ainda que uma parte das cidades brasileiras observem quedas nos preços em 2014 e, na média nacional, a maior parte dos membros do Comitê acredita que os valores dos imóveis deverão variar em taxa equivalente ou ligeiramente inferior à observada em 2013, as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro não devem acompanhar tal comportamento.

Em São Paulo, os preços devem sofrer o impacto do Plano Diretor Estratégico. O comitê acredita que os preços dos terrenos na capital paulista podem sofrer crescimento acentuado, o que, combinado com o novo patamar de outorga onerosa (pelo crescimento expressivo dos valores dos terrenos na planta geral de valores – valor venal) deve impactar pra cima os preços dos lançamentos.

Já no Rio de Janeiro, o bloqueio de aprovações em áreas de expansão da cidade é um dos fatores do encarecimento. “A escassez de áreas para novos empreendimentos pode provocar aumento de preços de terrenos, impulsionando os preços dos imóveis no lançamento, que acabam servindo de benchmark para o mercado.”

3 – No geral, os preços dos terrenos devem continuar impactando os preços dos imóveis.

No geral, quando se fala dos fatores que mais influenciam os preços dos imóveis, em 2014, a combinação de terrenos e outorgas onerosas devem continuar sendo os mais expressivos na formação dos preços. Em seguida, de acordo com o relatório, aparecem: custos de construção, custos do capital investido (efeito da taxa referencial de juros para cima), margens de segurança na formação dos preços ofertados e crescimento das margens de resultado dos empreendedores.

Para este ano, a análise ficou da seguinte forma: 66% dos consultados creditam a alta dos preços dos imóveis em 2013 aos fatores estruturais (terrenos, outorgas onerosas e custos de construção); 17% responsabilizam a imposição de margens de segurança; 11% dizem que foram os custos do capital investido e 6% opinam que as margens de resultado foram as responsáveis pelo aumento dos preços este ano.

4 – Perfil dos imóveis não deve mudar.

Segundo 97% dos consultados para a elaboração do relatório, o perfil dos imóveis lançados em 2014 devem manter as mesmas características apuradas em 2013, “com eventual ajuste para baixo”. Ainda de acordo com o documento, a alternativa de diminuir o tamanho das unidades, para ajustar o preço do imóvel à capacidade de pagamento do mercado, estaria se esgotando.

Entretanto, há evidências de que em grandes centros metropolitanos, os produtos menores não devem desaparecer. Isso porque eles seriam necessários para atender à formação de famílias com menor número de filhos e do crescente número de idosos buscando modelos mais adequados ao momento de vida.

Por outro lado, em localizações mais afastadas dos pólos de trabalho verifica-se a tendência de imóveis com dimensões mais confortáveis. Isso também acontece em cidades satélites nas regiões metropolitanas e em cidades conhecidas como dormitórios, como é o caso de Guarulhos em São Paulo.

5 – Velocidade das vendas deve ser mais moderada.

Conforme o relatório, a velocidade de absorção dos empreendimentos residenciais, em 2014, acompanhará o desempenho de 2013, com viés para baixo. O motivo é que muitas empresas têm optado por vendas mais lentas e preços mais sustentáveis.

No que diz respeito à oferta em número de unidades, o documento também aposta em padrão equivalente a 2013. A ressalva seria a cidade de São Paulo, que pode apresentar contração por conta dos preços dos terrenos da reação dos empreendedores ao Plano Diretor estratégico.

Já sobre a demanda, 75% dos consultados opinam que a busca por imóveis residenciais em 2014 manterá padrão equivalente ao crescimento populacional.

6 – Crédito imobiliário deverá espelhar 2013.

Por fim, as previsões para o crédito imobiliário para aquisição é de que a busca, no ano que vem, deve continuar no mesmo patamar de 2013. Segundo os corretores, a proporção de transações percebidas no mercado é de um para três.

Embora este ano tenha havido uma desaceleração nos lançamentos imobiliários em Belo Horizonte e para 2014 as expectativas sejam de estabilidade, ainda assim o setor se mantém otimista. Na avaliação do presidente da Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG), Evandro Veiga Negrão de Lima, “o mercado se autoajusta e a demanda por moradia continua forte”.

Para entender e subsidiar o mercado imobiliário em Belo Horizonte, a entidade compilou dados de uma pesquisa específica sobre lançamentos, realizada pela empresa Geoimóvel. O primeiro resultado, referente a 2012, indicou que 80% dos imóveis residenciais de 114 empreendimentos foram vendidos. De um total de 4.754 unidades lançadas, restaram 854 para venda. “ um estoque saudável”, observa Negrão de Lima, ressaltando que não houve encalhe nem esvaziamento, o que poderia significar vendas a menor preço.

Por segmento, os imóveis com dois quartos foram os que apresentaram o maior volume de lançamentos no ano passado, chegando a 2.345 unidades. Destas, 2088 foram comercializadas, superando os de três quartos, com 1.849 unidades lançadas e 1.401 vendidas e os de quatro dormitórios, com 551 lançamentos e 406 unidades negociadas. No ano passado foi registrado apenas um empreendimento com um quarto e nove unidades, restando quatro em estoque.

A média dos preços dos imóveis lançados no ano passado foi de R$ 5.074,43 o metro quadrado, sendo o de quatro quartos o de mais alto valor, R$ 6.401,06. O mais baixo foi percebido em imóveis de dois quartos, com R$ 4.094,41 o metro quadrado. No segmento comercial foram apurados 18 novos empreendimentos, com 1.547 unidades e 1.106 vendas. Para Negrão de Lima, esse estoque, de 441 unidades, também é considerado uma boa margem. O valor médio do metro quadrado foi de R$ 9.122,14.

Projeções – Segundo o dirigente, ainda não há dados referentes a 2013 que permitam uma comparação em relação a 2012. No entanto, o mercado observou que este ano houve uma ligeira queda de lançamentos em relação ao ano passado, decorrente, segundo ele, “da redução do número de projetos aprovados pela Prefeitura de Belo Horizonte”.

Segundo o dirigente da entidade, a demanda por lançamentos este ano continua praticamente a mesma do ano passado na capital mineira, embora o consumidor esteja mais cauteloso e, em virtude de preços, têm optado por imóveis prontos e usados.

Para 2014, as expectativas são de manutenção do mercado nos mesmos patamares deste ano, apesar de grandes desafios como um carnaval em março, adiando o período de tomada de decisões; a Copa do Mundo de futebol, em julho e, ainda, as eleições gerais em outubro.
*Publicado em 22 de novembro / Diario do Comércio

Você sabe o que é Retrofit?


O que é Retrofit? Saiba o significado desta importante ação no mercado imobiliário

RetrofitSurgido na Europa e Estados Unidos, o conceito de “Retrofit”, significa “colocar o antigo em forma” (retro do latim “movimentar-se para trás” e fit do inglês, adaptação, ajuste), termo cada vez mais ouvido no mercado de construção civil, aplicado ao processo de revitalização de edifícios. Mais do que uma simples reforma, ele envolve uma série de ações de modernização e readequação de instalações. O objetivo é preservar o que há de bom na construção existente, adequá-la às exigências atuais e, ainda, estender a sua vida útil.

A necessidade surge quando uma instalação chega ao fim de sua vida útil, quando os custos de operação e manutenção se elevam consideravelmente. O momento do retrofit é umaoportunidade de corrigir distorções que são criadas e acumuladas ao longo do tempo de uso e vida de uma instalação, alem de atualizar o sistema existente de acordo com as atuais normas, melhora da qualidade do ar, redução de custos operacionais, economia de energia e valorização do imóvel. Quanto mais antiga a edificação, mais caro e crítico se torna o retrofit.

No Brasil, a demanda para o Retrofit aumentou nos últimos anos não apenas por causa da preocupação crescente com o patrimônio histórico, como também por ser uma opção de conservação e melhoria do patrimônio em áreas de potencial construtivo esgotado, como as regiões centrais de algumas metrópoles

 

A economia de energia pode chegar a 40%, eficiência energética, custo-benefício, atendimento às normas, conforto térmico, qualidade do ar são alguns dos itens ligados diretamente à necessidade de se fazer um retrofit. Projetistas têm importante participação no processo.

O Departamento Nacional de Empresas projetistas e Consultores (DNPC) da Associação Brasileira de Refrigeração, ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava) ressalta os beneficios de se fazer o retrofit de sistemas de ar condicionado e alerta que equipes de projetos são fundamentais na elaboração dos estudos preliminares e do próprio projeto.

Segundo o vice-presidente do DNPC, o engenheiro Fábio Pires Takacs, “apesar de o Brasil ser um país em desenvolvimento, onde ainda há muito a ser feito, já possui um vasto parque de edificações existentes, construídas nas décadas de 60 e 70, que continuam em plena utilização, interessantes pela sua localização ou outras características particulares, e que demandam adequação dos seus sistemas à novas condições de ocupação e atividades, normas técnicas atualizadas, racionalização do uso de energia, etc.”

O papel do projetista e o retrofit
O projetista têm em seu escopo de atuação várias funções que impactam diretamente no resultado final e necessidades de um ambiente que precise de retrofit, entre elas, recálculo de carga térmica, elaboração dos estudos preliminares de viabilidade técnica e econômica, elaboração do projeto, avaliação da relação custo-benefício, entre outros. Sem estas informações, qualquer decisão por parte do responsável pelo empreendimento pode comprometer o resultado pretendido com o retrofit.

Como resultado de um trabalho inicial, o projetista ou consultor tem a responsabilidade de orientar o usuário quanto aos pontos que devem ser observados, como substituição de equipamentos por outros energicamente mais eficientes, substituição de fluidos refrigerantes, viabilidade de reaproveitamento de partes e/ou componentes da instalação, custos envolvidos, economia prevista, bem como na orientação quanto ao impacto das obras e planejamento de suas etapas.

A relação do sistema de ar condicionado e o retrofit
Uma vez que o ar-condicionado pode ser responsável por gastos que podem chegar a até 50% do consumo de energia elétrica, é imprescindível que um projeto de um sistema de climatização atenda as recomendações da norma da ABNT-NBR 16401, capítulo Instalações de Ar- Condicionado – Sistemas Centrais e Unitários – Parte 1: Projetos das Instalações. No caso de um sistema de ar condicionado, o retrofit consiste em intervenções técnicas que visam melhorar o conforto térmico e a redução do consumo de energia. Além da atualização de equipamentos e instalações, que abrangem melhorias operacionais por meio da automação das rotinas de supervisão e gerenciamento predial. Os ganhos obtidos em cada caso variam de acordo com o grau de intervenção e os resultados são vistos além da economia de energia, com a operação e com a manutenção.

Um dos pontos que mais evoluíram em um retrofit de um sistema de climatização foi a utilização de controles e dispositivos eletrônicos, proporcionando ganhos de eficiência e confiabilidade, principalmente na operação dos chillers e condicionadores de ar.

O DNPC ressalta que tão importante como o retrofit é a manutenção preventiva constante, pois a falta dela influencia diretamente no desempenho do equipamento e indiretamente na saúde das pessoas que vivem em ambientes climatizados.

Conforme dados do Qualindoor – Departamento de Qualidade do Ar de Interiores da Abrava, uma pessoa respira cerca de 10 mil litros de ar por dia e passa 85% dele dentro de ambientes fechados, estes normalmente climatizados como hospitais, escritórios, academias, bancos, carros, entre outros. Muitas dessas pessoas podem opinar a respeito da temperatura, mas não têm noção sobre os demais aspectos das condições inadequadas do ar que as circunda e que podem inclusive causar mal à saúde.

10 DICAS PESSOAIS PARA 2014


Fica-a-Dica1

10 DICAS PESSOAIS PARA 2014

Todos os anos eu recebo artigos dos mestres dos magos …que vivem cheios de teorias fantásticas para mudar a nossa vida no ano que se inicia….este ano eu resolvi criar as minhas próprias dicas….e assim…se chegar ao final de 2014 nada der certo, pelo menos seguirei o que diz meu coração e não a cabeça dos ”GURUS”!
Segue aí minhas 10 dicas pra mim mesmo.

1- Ter mais tempo na minha agenda pra fazer algo que eu nunca fiz
A rotina do dia é importante para que a gente consiga realizar nossas metas pessoais…acordar cedo…ler os e-mails, os jornais, notícias do mercado, cuidar da higiene pessoal…ligar para clientes…cuidar das coisas da nossa empresa, cuidar da família, trocar ideias com amigos…entrar nas redes sociais….MAS em 2014 pretendo pelo menos 1 vez por semana fazer algo diferente…algo que nunca fiz…mesmo que seja a coisa mais simples do mundo…como andar de metrô por exemplo…nunca andei….

2 – Fazer exercícios físicos
O mercado dita a regra da magreza, de um corpo atlético e bonito, isso é verdade….mas não vou fazer atividades físicas por isso…vou fazer pra manter a saúde….não quero morrer por falta de zelo comigo…esse papo de ser gordo é ser feliz com o próprio corpo…que a beleza exterior não diz nada….é pura enganação….é claro que um corpo saudável por fora é resultado sim de uma mente saudável…nada de exageros é claro…mas ser saudável nada tem haver com vaidade…

3 – Dormir mais cedo e acordar mais cedo
Este ano e nos anteriores…cansei de virar madrugadas trabalhando, criando projetos e desenvolvendo planos para o dia seguinte.
Eu tenho por natureza produzir melhor durante a madrugada…mas preciso mudar essa minha natureza…quero viver mais durante o dia em 2014…quero ver o sol brilhar mais cedo…

4 – Conhecer uma pessoa nova toda semana
Quero conhecer alguém diferente todas as semanas…de áreas diferentes, de mercados diferentes….de outras cidades, outras culturas…aprender com ela, ouvir suas histórias e suas experiencias vividas.

5 – Ficar menos tempo ON LINE
O mundo moderno exige de nós presença ON LINE 24 horas por dia…seja pelo celular, pelo computador, pela TV, vou desligar isso tudo 1 vez por dia durante 1 hora….desligar geral…fica OFFLINE.Fazer alguma atividade que não seja ligada a tecnologia…cuidar do jardim…cuidar de algum reparo na casa…andar pela rua…ir a padaria…sei lá…mas vou me desligar 1 hora por dia.

6 – Ser mais rápido e mais objetivo
Tenho uma mania de planejamento enorme…e talvez por isso perco muito tempo com detalhes e medindo riscos….em 2014 vou adotar a agilidade como meta profissional…se dou 5 telefonemas por dia…darei 10, vou ler meus e-mails com mais concentração e só irei abrir uma mensagem quando de fato eu puder ler…

7 – Quebrar mais regras ainda
Um dia um amigo me falou uma coisa que nunca mais esqueci…ele disse: Se alguém te falar pra não fazer…vai lá e faz…é assim que certas coisas funcionam.
Eu vivo quebrando regras e protocolos e pretendo quebrar muito mais em 2014.
O único cuidado nisso é que precisamos quebrar regras sem perder a ética e o respeito pelas pessoas…quebrar regras não significa quebrar a cara das pessoas…é preciso sempre lembrar daquela regrinha básica…o MEU DIREITO TERMINA QUANDO COMEÇA O DO OUTRO.

8 – Conversar mais com DEUS
Conversar com DEUS é a coisa mais mágica que um ser humano pode fazer…conversar mesmo…dialogar…ouvir mais do que falar…entender o que ele diz…saber a hora de falar e a hora de calar…Conversar com DEUS é diferente de ORAR OU REZAR…uma conversa informal pode nos trazer muito mais benefícios do que que agendar uma reunião.

9 – Dar uma passo de cada vez
Este ano realizei muitas coisas é verdade…não posso reclamar de nada…mas com certeza andei dando umas pisadas na bola por conta de tentar dar passos maiores que minhas pernas…prometi coisas a outras pessoas sem ter a certeza de poder honrar meu compromisso, não farei isso em 2014 só vou prometer algo se de fato ter a certeza que vou poder realizar…

10 – Ser 10 vezes mais obstinado e determinado
A determinação de fazer algo é 50 % do sucesso. As pessoas mais bem sucedidas nas coisas que se propuseram a fazer são infinitamente obstinadas, determinadas e chegam a ser quase obsessivas na realização de um sonho, de uma meta.
Essa gente não descansa enquanto não consegue o que deseja….vão a luta, não ficam esperando nada cair do céu…É assim que sempre fui…mas prometo que em 2014 serei mais ainda…nada irá me tirar do meu foco…só farei coisas que envolvam as metas acima…

Estas dicas são pra mim…não sou GURU de nada…não me proponho a fazer milagre nenhum…portanto caso queira seguir fique a vontade…se não pelo menos trace suas metas e não deixe ninguém te dizer o que deve ou não deve fazer…