Aluguel de bike – Lagoa Seca poderá ter estação


bike

BHTrans abre licitação para implantação de 30 estações de bicicletas de uso comum em BH. Projeto já mapeou cerca de 65 pontos, entre eles, o Belvedere.

Belo Horizonte é uma cidade de topografia acidentada, mas a Prefeitura de Belo Horizonte, por intermédio das suas autoridades de trânsito, insiste em abrir espaço para a prática e uso constante da bicicleta. Sem dúvida, esta é uma tendência mundial e os amantes das famosas “bikes” agradecem o esforço da PBH. E ficaram mais animados com a decisão da BHTrans de  abrir licitação para implantar a rede de “magrelas” de uso compartilhado. O Belvedere, mais precisamente, a Praça da Lagoa Seca, poderá ter um ponto, ou melhor, uma estação para ciclistas alugarem bicicletas.

O aluguel de bike é um sucesso ao redor do mundo. O modelo, consolidado em cidades como Paris, Barcelona e, mais recentemente, o Rio de Janeiro, consiste no empréstimo de bike’s para a população. O ciclista retira a bicicleta em uma estação e a devolve em qualquer estação da rede, podendo usar o meio de transporte por até 60 minutos. Nos fins de semana, o intervalo passa a ser de 90 minutos. Depois de 15 minutos, o ciclista pode usar a bicicleta novamente.

O novo edital do sistema de uso de bicicletas compartilhadas foi publicado no último dia 19 de novembro no Diário Oficial do Município (DOM).  A localização das estações ainda não está definida, mas o BHTrans já mapeou 65 pontos, a maioria dentro dos limites da Avenida do Contorno. O Belvedere está entre estes locais que podem receber uma estação de bike’s, já que é uma região privilegiada por ter uma topografia plana e de pouco trânsito.

Prioridades

A assessora da Diretoria de Transporte Público da BHTrans, Liliana Hermont, conta que a prioridade é dotar com estações a área central de BH, as regiões do Barreiro e da Pampulha. “As conexões do Centro são prioridade e identificamos também demanda grande no Barreiro. Queremos priorizar a Pampulha, por causa da estrutura de ciclovias já implantada e pela questão turística”, afirma Hermont.

Pelo edital ganha a empresa que oferecer o maior número de estações e o menor preço pelo aluguel aos usuários. A previsão é que em julho os moradores e visitantes de BH já possam usufruir do serviço. Neste primeiro momento, a intenção é colocar pelo menos 30 estações com 300 unidades disponíveis ao valor máximo de R$ 3,00 a diária, R$ 9,00 a mensalidade e R$ 60,00 para usar o sistema por um ano.

A PBH tem implantado a ciclofaixa em várias regiões da cidade, a última delas foi na Avenida João Pinheiro e promete concluir 69 km de pistas nos próximos anos. Liliana Hermont  explica que “as áreas entre as estações pressupõe de um cuidado e tratamento, com a sinalização das rotas, a implantação de ciclofaixas e ciclovias. Também teremos que fazer campanhas educativas com os procedimentos de segurança”, afirma Liliana.

Atualmente, a capital mineira conta com 50 quilômetros de ciclovias. A meta é alcançar, até 2020, cerca de 380 quilômetros de pistas exclusivas para as bicicletas. Um dos principais objetivos das bicicletas de uso compartilhado é fazer da “magrela” meio de transporte em trajetos curtos, complementando viagens feitas por ônibus ou metro.

 

Projeto tem o apoio da associação de moradores

O presidente da Associação dos Amigos do Belvedere (AABB), Ubirajara Pires, está entusiasmado com o projeto e acredita que ela trará um ganho em qualidade de vida para moradores do bairro. “A prática esportiva e o lazer são muito incentivados dentro do Belvedere. E, com o projeto das bicicletas de aluguel não será diferente. Pelo contrário, elas facilitarão para aqueles que vêm para a Lagoa Seca, mas que têm dificuldade para o transporte das bikes. Além disso, como é a Associação dos Amigos do Belvedere que cuida e mantém a Praça da Lagoa Seca, vamos procurar o secretário Daniel Nepomuceno para definirmos o melhor local para instalação dessas estações. Já identificamos alguns pontos, mas queremos saber mais sobre a necessidade e dimensão destes locais que receberão as bicicletas”, ressalta Ubirajara.

Segundo ele, em todos os locais da Europa onde o projeto das bikes foi instalado ele sucesso. E que a ideia é garantir que o local escolhido aqui no Belvedere não gere conflito com a circulação de pedestres e veículos. Além, é claro, que seja preservada a estética do bairro.

Fonte:Jornal do Belvedere

Blog comprenaplanta.net

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s