O VERDADEIRO PODER EMPRESARIAL ESTÁ NA GESTÃO


O VERDADEIRO PODER EMPRESARIAL ESTÁ NA GESTÃO

Vale a pena ler o mais recente livro de Vicente Falconi,

O Verdadeiro Poder, lançado no último mês de dezembro.

Falconi é um dos gurus da gestão no Brasil e tem uma longa experiência em trabalhos de consultoria em algumas centenas de empresas do setor privado e em órgãos públicos e governamentais.

O livro apresenta detalhes do Método Gerencial que Falconi adota com sucesso para orientar as empresas em sua gestão.

A metodologia desenvolvida pelo CTE nos idos de 1995 para os programas de gestão da qualidade em empresas incorporadoras e construtoras,foi fortemente influenciada pelos primeiros livros de Falconi que tratavam da gestão da rotina e gerenciamento pelas diretrizes. Posteriormente desenvolvemos outras metodologias de gestão empresarial, gestão de resultados e gestão de processos, sempre influenciados por Falconi.

Refletindo sobre o conteúdo do atual livro de Falconi, sobre o trabalho de consultoria do CTE em gestão nestes últimos 20 anos, e também sobre o momento atual e futuro do setor da construção, creio que há alguns pontos importantes que podem orientar a gestão das empresas da cadeia produtiva da construção no Brasil.

1. Definição clara da estratégia, dos segmentos e foco de atuação e do posicionamento competitivo da empresa, que passa pela análise de mercado e dos concorrentes, dos pontos fortes e fracos da empresa e das ameaças e oportunidades para o seu negócio, resultando na explicitação dos diferenciais competitivos da organização para atuar no mercado e ter sucesso empresarial e sustentabilidade dos seus negócios.

2. Definição dos Planos de Metas a serem atingidas e definição de lacunas a serem preenchidas pela empresa para um certo período (em geral anual). Essas metas devem envolver no mínimo:

– metas de desempenho financeiro

– metas focadas nos clientes

– metas focadas nos colaboradores

– metas focadas na sustentabilidade ambiental e social

A definição destas metas requer clareza, objetividade e indicadores mensuráveis

3. Desdobramento das metas empresariais para as áreas, empreendimentos e obras da empresa de forma que haja um alinhamento entre as metas da empresa e as metas das áreas, empreendimentos e obras (alinhamento estratégico e de resultados). Também neste caso se requer clareza, objetividade e indicadores mensuráveis.

4. Padronização dos processos funcionais e departamentais e dos padrões operacionais de projeto, suprimentos, planejamento e execução de obras, incluindo a padronização dos controles e verificações a serem feitas. São várias as ferramentas de padronização e controle de processos hoje disponíveis (várias delas via WEB) e este é um passo básico para se estabilizar processos e rotinas, para poder depois gerenciá-los.

5. Treinamento
das lideranças para obtenção de resultados focados em gestão de pessoas, conhecimento técnico e cumprimento das metas. As empresas hoje têm como uma de suas funções principais a formação de líderes com o foco de gerar resultados e conduzir suas equipes em direção às metas, praticando a excelência em processos, qualidade, custos, prazos, tecnologia e atendimento. Por que não pensar nas empresas também como “Fabrica de Líderes”?

6. Gerenciamento das metas, dos processos e das rotinas, utilizando a ferramenta do PDCA – Plan, Do, Check e Action. Segundo Falconi a prática do PDCA é a essência do Método Gerencial. Esta é a grande ferramenta de gestão que deve ser aplicada pelos vários níveis da organização de forma constante, permanente e consistente. Um dos itens básicos de treinamento e capacitação dos colaboradores sob responsabilidade ddos líderes deve ser focado no aprendizado e aplicação do PDCA.

7. Melhoria contínua visando o aumento da produtividade empresarial, ganhos de custos e aumentos de eficiência operacional. Neste caso também a utilização do PDCA é muito valiosa. Aprender a analisar problemas em equipe, identificar e remover a causa raiz desses problemas é um conhecimento que deve ser difundido para todos os colaboradores da empresa.

8. Desenvolvimento da capacidade de inovação de produtos e processos, via identificação das necessidades dos clientes e do mercado, pesquisa de tendências internacionais, adoção de novas tecnologias construtivas e de ferramentas de tecnologia da informação, gestão de parcerias e gestão do conhecimento.

Entendo que o grande diferencial competitivo das empresas estará em sua gestão competente e eficaz, o que vai determinar quais empresas vão se sobressair e liderar o mercado nos próximos cinco anos. Ou seja o verdadeiro poder empresarial está em sua gestão.

Anúncios

Uma consideração sobre “O VERDADEIRO PODER EMPRESARIAL ESTÁ NA GESTÃO”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s