Diminuindo as barreiras



 

Diminuindo as barreiras que separam os feudos de Marketing e Tecnologia no comércio eletrônico.

Era uma vez em um mundo muito distante, uma profissão chamada marketing onde 50% de todos os seus esforços não levavam a lugar algum, mas ninguém sabia ou ligava para o fato da empresa estar desperdiçando 50% da verba de marketing em atividades que não traziam absolutamente nenhum retorno. 

Nesse mesmo mundo vivia os profissionais de tecnologia. Seres humanos lógicos, movidos por processos, extremamente perfeccionistas no que fazem, e grandes tiradores de pedidos. 

Com a chegada da internet, o mundo em que essa turma vivia mudou completamente.

Uma nova dinâmica de organização de empresa se fez necessário. 

Ou melhor, se faz necessário. 

Se você olhar o mundo pelos olhos dos profissionais de tecnologia, você verá o mundo de maneira ordenada e organizada. Os profissionais de TI trabalham com planos de médio prazo. Mudanças no mundo da tecnologia significam risco. Os sistemas de gestão da empresa são sua prioridade máxima, e a turma de marketing faz parte de um departamento que promete demais, e entrega suas atividades com pouca responsabilidade. 

Se você olhar o mundo pelos olhos dos profissionais de marketing, você verá o mundo com olhos do curto prazo. Marketing não tem muita preocupação com as consequências de quebrar algum paradigma. Para o marketing, a solução é sempre muito simples, e se quebrar, consertamos. 

Para os profissionais de marketing, os sistemas de tecnologia são apenas ferramentas de trabalho, e nunca o alicerce da empresa. Para os profissionais de marketing, os profissionais de tecnologia são pessoas lentas e detentoras de informações complexas e desnecessárias. 

Particularmente falando eu já participei de diferentes projetos de ecommerce. Eu já vi alguns projetos de ecommerce nascerem por iniciativa de marketing e irem por um caminho marketeiro de ser. E já vi alguns projetos de ecommerce nascerem por iniciativa de tecnologia e seguirem por um caminho técnico de ser. 

Por experiência própria, afirmo que os melhores projetos de comércio eletrônico são aqueles onde a área de marketing e tecnologia se unem para entregar o melhor projeto possível para a empresa e para os clientes independente de quem teve a iniciativa. 

O comércio eletrônico é um dos projetos de negócios mais importantes para uma empresa. É um projeto que tem implicações que vão além dos feudos de marketing e tecnologia. Comércio Eletrônico envolve todas as áreas de uma empresa, da logística ao financeiro, do pós-venda a área de produtos. O comércio eletrônico é mais importante do que a área de marketing e tecnologia somadas. Portanto, ambas os profissionais de tecnologia e marketing tem que ser maduros e adultos para vencerem suas barreiras de comunicação e pontos de vista e encontrar uma maneira de trabalhar juntos pela empresa. É crucial para ambos os profissionais de marketing e tecnologia vestir o chapéu da empresa, ao invés  de vestir o chapéu do próprio departamento. 

Comércio eletrônico é um projeto de negócios, mas não é possível levantar um comércio eletrônico de sucesso sem as idéias e percepções do marketing ou sem a tecnologia e insights da área de tecnologia.

Segundo um estudo recente feito pelo eMarketer, mais de 50% dos projetos de TI estão incrivelmente atrasados. Isso acontece porque as áreas de marketing e tecnologia envolvidas não sentam o tempo necessário para mapear as características do sistema que ambas querem colocar no ar. 

Outro estudo feito pela Forrester Research mostra que 71% dos profissionais de marketing disseram receber pouco ou nenhum apoio da área de tecnologia das suas empresas para assuntos relacionados com ecommerce. Muitos preferem terceirizar as questões chaves para evitar trabalhar com os profissionais internos de tecnologia. 69% afirmam que já terceirizaram  o desenvolvimento e a infraestrutura de tecnologia. 

Enquanto marketing está obsessivamente focado em pixels e imagens – para dar um gás na integridade da marca da empresa; a área de tecnologia está obcecada com o estoque e os produtos, e não demonstra preocupação alguma em atualizar a qualidade do vidro da vitrine ou instalar etiquetas de preço que falam. 

Marketing tem que pensar como TI, e TI tem que pensar como marketing. 

Ninguém é inimigo de ninguém! Quando isso acontece, o cliente é que sofre. 

Do lado da tecnologia, os profissionais precisam aprender a dizer SIM um maior número de vezes. É muito fácil dizer não a uma solicitação do marketing. Entretanto, existe sempre uma opção ou maneira diferente de fazer as coisas. 

Do lado de marketing, os profissionais precisam colocar a revisão das operações na lista das prioridades a serem implementadas ao invés de buscar sempre novas características por novas características. O tempo de viver de awareness acabou, o negócio agora é sobre Retorno sobre Investimentos. 

Do lado da tecnologia, os profissionais precisam deixar de ser meros tiradores de pedidos, pulando da execução de uma característica para outra característica como se não fizessem parte do negócio; entregando exatamente o que foi pedido para fazerem, e depois voltando com a atitude errada, “Tá vendo, eu disse que não iria funcionar”. 

Do lado do marketing, é importante que o profissional tenha uma experiência de vida mais variada, assim, talvez, contribua para que ambos os profissionais sejam menos míopes. 

Do lado da tecnologia, o profissional precisa entender que é muito difícil para um profissional de marketing entender de programação ou de todas as nuances que envolvem a segurança da infra-estrutura da empresa. Por isso, é muito mais fácil para um engenheiro de software se tornar marketeiro do que vice-versa. Cabe ao profissional da engenharia ir até a área de marketing e procurar entender o que marketing faz. 

Uma coisa é certa, as coisas precisam mudar entre marketing e tecnologia. 

Com o advento da web 2.0, os projetos de tecnologia estão ganhando interfaces de marketing, e os projetos de  marketing estão ganhando a pegada de tecnologia onde o retorno sobre o investimento é tão importante quanto a atividade em si. 

Esse cenário nos leva a necessidade de ter um profissional de marketing e tecnologia com perfil completamente diferente do tradicional. 

Se você é profissional de marketing ou tecnologia, e pretende avançar como profissional e ser humano, o mínimo que você tem a fazer é se tornar um colaborador. 

Já que a maioria das empresas está com a mania de chamar todos os seus funcionários de colaboradores, então procure colaborar. Colaborar não é sobre abraçar o colega de trabalho, ou sorrir para o chefe. Colaborar significa ajudar pessoas que trabalham em outras áreas a fazerem seus trabalhos. Isso é colaborar. 

Marketing continuará a ser medido pelo aumento de vendas e satisfação dos clientes, e Tecnologia continuará a ser medida pela redução de custos e diminuição de riscos, portanto, os princípios do jogo não vão mudar, e as coisas vão ficar complexas. 

Portanto, cresça. 

Você é que tem que mudar para se adaptar a essa realidade onde os interesses são conflitantes, mas os objetivos são os mesmos. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s