Boas noticias!!!


Vendas de material de construção registram alta de 4,2% em 2009

Segundo a pesquisa interna da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), entidade que representa 138 mil lojas de material de construção no país, o varejo do setor apresentou um crescimento de 4,2% em 2009, em relação a 2008, atingindo faturamento total de R$ 45,04 bilhões.

De acordo com a associação, no mês de dezembro, o crescimento em relação a novembro foi de 4,5%. Já em relação a dezembro de 2008, a alta registrada foi de 20%. “Sem dúvida, crescer 4,2% em relação a 2008, que foi um ano recorde para nosso segmento, foi um resultado extraordinário”, comemora Cláudio Conz, presidente da entidade. “Começamos o ano com retração de 15% no primeiro trimestre e tivemos uma melhora em março e abril, devido especialmente à redução do IPI – Imposto Sobre Produtos Industrializados, promovida pelo Governo Federal. Daí para frente, fomos melhorando mês a mês”, acrescenta.

Expectativas para 2010

Para Cláudio Conz, o setor está aquecido e as expectativas são bastante positivas. “Em 2010, para um crescimento do PIB previsto para mais de 5% esperamos crescer acima de 10%”, explica.

Ele enumera diversos fatores como responsáveis pelas boas perspectivas, como o forte incentivo da continuidade da redução do IPI, que foi prorrogada até 30 de junho, o impacto do programa Minha Casa Minha Vida, desenvolvido pelo Governo Federal e que vai construir um milhão de moradias nos próximos anos, e a ampliação dos financiamentos.

“Tivemos uma percepção do mercado muito positiva, especialmente no último trimestre de 2009,o consumidor está mais confiante e com mais recursos”, comenta. “Vemos um aumento de renda efetivo da população. Além disso, em 2010, os números dos financiamentos habitacionais com recursos da poupança serão recordes, acima de R$ 40 bilhões, e portanto, bem superiores aos R$ 30 bilhões de financiamentos imobiliários efetuados em 2008 e 2009”, esclarece.

Início de ano aquecido

O mês de janeiro já reflete os bons números esperados para 2010. Segundo dados da entidade, o volume de vendas na primeira quinzena do mês já ultrapassa os 10%, valor bem superior ao mesmo período do ano passado. “Em função do excesso de chuvas, a demanda por pequenas reformas está sendo muito intensa”, conta Conz.

Além disso, de acordo com a pesquisa da Anamaco em parceria com a Latin Panel, 2/3 das 55 milhões de habitações brasileiras, hoje, precisam de algum tipo de reforma. “Assim, temos uma conjuntura favorável, devido à combinação de diversos fatores”, completa Conz.

Foco na qualificação profissional

Para Conz, o grande esforço do setor em 2010 será para promover a qualificação dos profissionais da construção. “Para este ano, a Anamaco está preparando novidades, que serão anunciadas nos próximos meses, em parceria com entidades especializadas, como programas e treinamentos. A função da entidade é compartilhar conhecimento. E na medida em que as pessoas estão mais informadas e melhor preparadas para enfrentar o mercado de trabalho, sabemos que isso alimenta um círculo virtuoso, porque gera crescimento de renda e melhora a qualidade de vida das famílias que, por sua vez, aumentam o consumo. Esta é a lógica do nosso mercado”, finaliza.

BOA LEITURA


Duas principais virtudes dos

líderes

Há uma frase que diz: “A vida é uma comédia para os que pensam e uma tragédia para os que sentem”. Os sentimentos que se formam em nossa mente precisam ser administrados de modo inteligente. Não podemos ficar reféns exclusivamente deles. Nossas ações ou decisões não podem deixar de ser pensadas. Decidir somente por emoção é um grande perigo. Quando não aprendemos a lidar com as próprias emoções, ficamos propensos a agir como crianças, isto é, nossas respostas não são pensadas e sim impulsivas.

Uma das causas do aumento crescente dos índices de criminalidade, suicídios, abuso de drogas, insucesso na vida pessoal, profissional ou política é o despreparo das pessoas para com a educação emocional. Isto explica, também, porque as relações sociais vêm sofrendo uma crescente deterioração.

As emoções têm um poder gigantesco em nossas vidas. São mais velozes do que o pensamento. Representam uma ameaça, pois tendem a nos levar mais facilmente ao erro. Portanto, sempre que agimos tomados apenas pela emoção, é menor a possibilidade de acerto.

Muitas das doenças que contraímos são conseqüências de nossas emoções e sentimentos. Ainda no início da vida, precisamos aprender a conviver com as emoções. Mas, nunca é tarde para conhecermos como funcionam e o que fazermos para evitar que nos dominem.

Vemos pessoas em todos os setores, do esporte a política, com muito talento, cursos de pós-graduação – especialização, mestrado e doutorado, mas incapazes de lidar com suas próprias emoções. Não têm domínio sobre si mesmas. Profissionais com elevada inteligência cognitiva se perdem por não saberem controlar seus sentimentos.

Para que possamos ter sucesso é preciso levar inteligência às emoções. Primeiro, ter autoconsciência de nossas próprias emoções e do poder que possuem. Segundo, aprender a lidar com elas, nos livrarmos da ansiedade, tristeza e irritabilidade. Terceiro, motivar a nós mesmos, ou seja, sermos auto-motivados e criativos. Quarto, reconhecer as emoções nos outros, o que significa ter empatia. Quinto e último, lidar com relacionamentos, popularidade, liderança e eficácia interpessoal.

Essas são virtudes essenciais a serem incorporadas e colocadas em prática por todos e, principalmente pelos gestores, sejam eles públicos ou privados. Sem isso, resultados positivos de um trabalho em equipe podem até acontecer durante um período, mas não por muito tempo.

Aristóteles – filósofo grego, disse certa vez: “Qualquer um pode zangar-se – isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na medida certa, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa – não é fácil”.

Por que não começarmos a discutir imediatamente como preparar professores, pessoas em geral e alunos para a educação emocional?
Este seria um passo decisivo a termos no futuro uma sociedade melhor e de convivência mais equilibrada.

Acreditamos ser a ética e a inteligência emocional as duas principais virtudes dos verdadeiros líderes.

EDINALDO MARQUES
Engenheiro Civil, Professor da Ufal, Mestre em Administração, Consultor e Palestrante

Historia interessante…


Aprenda com esta fabula sobre o mundo corporativo

Escrito por Roberto Recinella

// <![CDATA[// // <![CDATA[//

“Creio que para enfrentar o desafio de nossos tempos, os seres humanos terão que desenvolver um maior sentido de responsabilidade universal. Cada um de nós terá de aprender a trabalhar não apenas para si, sua família ou país, mas em benefício de toda a humanidade. A responsabilidade universal é a verdadeira chave para a sobrevivência humana”. Tenzin Gyatso, o XIV Dalai Lama, Brasil, 1992

Jamais, na história da humanidade, o ser humano foi tão testado e posto à prova. E em plena era de globalização e da informatização só terá espaço todo aquele que souber, exatamente, o que deseja alcançar e usar toda a sua inteligência e inovação para desvendar novos caminhos.

Apesar de todo o avanço cientifico e tecnológico nunca nos sentimos tão sozinhos e perdidos , a competição aumentou a tal ponto que compromete as relações , o conhecimento se recicla a uma velocidade que nos sentimos freqüentemente ultrapassados , vivemos estressados.
Mas não se desespere , na sociedade do conhecimento, os indivíduos são fundamentais.

Peter Druker alerta que o conhecimento moeda desta nova era não é impessoal como o dinheiro. “Conhecimento não reside em um livro, em um banco de dados, em um programa de software: estes contêm informações. O conhecimento está sempre incorporado por uma pessoa, é transportado por uma pessoa, é criado, ampliado ou aperfeiçoado por uma pessoa, é aplicado, ensinado e transmitido por uma pessoa e é usado, bem ou mal, por uma pessoa. Para ele, a sociedade do conhecimento coloca a pessoa no centro, e isso levanta desafios e questões a respeito de como preparar a pessoa para atuar neste novo contexto.”

Sob esta nova perspectiva as pessoas deixam de ser apenas massa de manobra e podem novamente resgatar sua identidade , o conhecimento se transforma em sabedoria através da diversidade que existe em cada um de nós , cada um processa e utiliza as informações de um modo com isso se diferenciando na vida.

O diferencial neste milênio será como você irá utilizar este conhecimento , pois saímos da era do emprego e entramos na era do trabalho.
O seu destino está em suas mãos, bem vindo ao caótico século XXI.

Aprenda com esta fabula

Todos os dias, a formiga chegava cedinho ao escritório e pegava duro no trabalho. Era produtiva e feliz.

O gerente marimbondo estranhou a formiga trabalhar sem supervisão.
Se ela era produtiva sem supervisão, seria ainda mais se fosse supervisionada.

E colocou uma barata, que preparava belíssimos relatórios e tinha muita experiência, como supervisora.

A primeira preocupação da barata foi a de padronizar o horário de entrada e saída da formiga.

Logo, a barata precisou de uma secretária para ajudar a preparar os relatórios e contratou também uma aranha para organizar os arquivos e controlar as ligações telefônicas.

O marimbondo ficou encantado com os relatórios da barata e pediu também gráficos com indicadores e análise das tendências que eram mostradas em reuniões.

A barata, então, contratou uma mosca, e comprou um computador com impressora colorida.

Logo, a formiga produtiva e feliz, começou a se lamentar de toda aquela movimentação de papéis e reuniões!

O marimbondo concluiu que era o momento de criar a função de gestor para a área onde a formiga produtiva e feliz, trabalhava.

O cargo foi dado a uma cigarra, que mandou colocar carpete no seu escritório e comprar uma cadeira especial.

A nova gestora cigarra logo precisou de um computador e de uma assistente (sua assistente na empresa anterior) para ajudá-la a preparar um plano estratégico de melhorias e um controle do orçamento para a área onde trabalhava a formiga, que já não cantarolava mais e cada dia se tornava mais chateada.

A cigarra, então, convenceu o gerente marimbondo, que era preciso fazer um estudo de clima.

Mas, o marimbondo, ao rever as cifras, se deu conta de que a unidade na qual a formiga trabalhava já não rendia como antes e contratou a coruja, uma prestigiada consultora, muito famosa, para que fizesse um diagnóstico da situação.

A coruja permaneceu três meses nos escritórios e emitiu um volumoso relatório, com vários volumes que concluía : “há muita gente nesta empresa”.

E adivinha quem o marimbondo mandou demitir?

A formiga, claro, porque ela andava muito desmotivada e aborrecida.

Moral da história:

Tenho certeza que você está pensando:

“já vi esse filme em algum lugar!”

Sucessos do varejo


Desde 2008, a Wine, uma das primeiras lojas de varejo online multimarcas do Brasil, oferece uma grande variedade de vinhos aos admiradores da bebida. Com mais de 1.800 rótulos, fornecidos por cerca de 20 importadoras, a empresa é hoje líder no comércio eletrônico do produto no país.

O sucesso da Wine se deve à combinação de diversos fatores. Entre eles, a venda exclusiva de alguns rótulos via internet, como por exemplo, o Mouton Cadet. O site da empresa também investe na interatividade com seus clientes. Em seu portal, o consumidor pode escolher vinhos por meio de filtros, que se baseiam em sua motivação de compra.

Além disso, a empresa possui um sistema de e-commerce fortíssimo que, com uma logística bem estruturada, consegue entregar vinhos em diversas regiões do país num período de até 48 horas. O sistema de entrega é feito em parceria com a TAM Cargo – unidade de cargas da TAM Linhas Aéreas. Assim, a empresa consegue atender com êxito à demanda dos consumidores localizados Brasil afora.

Cabe destacar ainda que o cuidado com o envio do produto é muito importante para a Wine. Todos os clientes recebem suas compras na WineBox, uma caixa com design exclusivo, criada especialmente para o transporte aéreo de vinhos. Por tudo isso, a Wine consegue proporcionar uma agradável experiência de compra aos apreciadores de um bom vinho.

Boas Noticias


Crescimento da renda real das famílias brasileiras contribui para queda de cheques devolvidos e títulos protestados

Portal Varejista

Dados da Equifax, líder mundial em informação e inteligência para decisão e gestão empresarial, mostram que no mês de dezembro foram registrados 1.989.926 cheques devolvidos, o que aponta uma redução de 3,45% frente a novembro de 2009. Em dezembro de 2008 os números foram 19,95% menor. Já em comparação por dias úteis, os resultados de dezembro de 2009 foram 12,23% inferiores aos do mês anterior e 19,95% inferiores àqueles registrados em dezembro de 2008.

Este cenário é resultado do crescimento da renda real das famílias, da queda das taxas de juros praticadas no comércio, da expansão no prazo de financiamento e, sobretudo, da injeção dos recursos do 13º salário e do adicional de férias de fim de ano. Para janeiro, o aumento real do salário mínimo também deve contribuir com a recuperação financeira dos consumidores.